• Carl.Aventura

in "#13TREZEVersos em duas rodas, curvas, ondas e outras linhas menos rectas."


Cá no fundo há um mundo

Há almas com uma força

do tamanho do mundo

que dão às pernas sem fim

nunca saindo do fundo.


Há pessoas com vontade,

a mesma do vento Norte,

que leva para frente

todo o tipo de velas,

da mais fraca à mais forte.


Eu só não sou uma delas.

Também nadei sem fim,

mas a voz lá no fundo

chamou o meu nome,

encantou-me,

apoderou-se de mim.


E cá em baixo no fundo

descobri o meu mundo,

com criaturas divinas

igualmente perfeitas,

que moram debaixo das camas,

armários escuros

e mentes desfeitas.


Cá em baixo no escuro,

também há risos de infantário,

festas de aniversário

e almas eleitas.

Cá em baixo no fundo

os corcundas torcidos,

demónios perdidos,

espíritos insanos

e monstros sangrentos,

Não são seres horrendos,

não são seres malignos,

não são seres disformes.

São apenas a vida

de uma casa inundada

de bilhetes só de ida.

São o pavio das velas

que se afundaram sem vento,

não por desgraça

ou infeliz desalento.

Mas porque enquanto nadavam,

a mão fria do mundo

chamou-os a casa,

levou-os ao fundo.


E ao olharem para cima

não sentiram saudade,

aprenderam que no escuro,

onde a luz se não vê,

todos os sentidos se acordam

numa vida-morta plena de orgulho

numa vida-morta de pura intensidade.

in "#13TREZEVersos em duas rodas, curvas, ondas e outras linhas menos rectas."





3 visualizações